Centro Cultural Teosópolis promove noite de autógrafos de autores regionais

Os autores Charles Sá, Bira Lima, Mariana Souza, Albione Souza Silva, Leila Oliveira, Sérgio Machado e Egnaldo França lançaram suas obras em concorrida noite de autógrafos, na noite de sexta-feira no Centro Cultural Teosópolis, em Itabuna. O evento Obra & Autógrafos, promovido pelo espaço cultural, contou com apoio do Centro de Documentação e Memória Regional (Cedoc) da Uesc, da editora Via Litterarum e da Academia de Letras de Itabuna.

O escritor Albione Souza e Silva autografou sua obra Os Despossuídos da Terra. O autor Bira Lima lançou o seu livro de poesias Kúesis, a escritora Leila Oliveira apresentou as produções de literatura infantil Asas e O Trenzinho. Autor de cinco livros, Charles Sá autografou as obras no campo da história Festas, Bahia Pombalina, O Sagrado no Tempo, Mundos Coloniais e História e Literatura.

Sérgio Machado, que além de escritor é advogado, autografou o livro Olhos de Deus. A trilogia A Lição do Mago foi autografada pela tradutora e escritora Mariana Souza, enquanto Egnaldo França apresentou a obra Labor de Poetas. Todas as obras podem ser adquiridas com os autores ou no site da editora Via litterarum, viaeditora.com.br.

Para Janete Ruiz Macedo do Centro de Documentação da Uesc, “os leitores podem contar com uma nova plêiade de autores”. Ela disse que o Centro Cultural foi um esforço e um sonho de três homens: Geraldo Meireles, Aurélio Macedo e Pastor Hélio Lourenço.

Na opinião de Wilson Caitano, Presidente da Academia de Letras de Itabuna (Alita), “o espaço é mais uma oportunidade de mais escritores poderem lançar seus livros. Gasparetto cumpre um importante papel na literatura regional. Temos a oportunidade de levar escritores as escolas e as crianças. Podemos mudar o mundo através da leitura. Itabuna ganhou um grande presente”, disse o acadêmico.

O sociólogo e professor Agenor Gasparetto declarou que o Centro Cultural Teosópolis é um belo presente para Itabuna. “Uma obra tem a coparticipação da criação divina. Esse lançamento é a expressão do que a região tem para mostrar”, disse o livreiro diretor da Via Litterarum, editora com mais 300 títulos publicados e 100 autores no seu cast.

Os escritores e suas criações

Bira Lima, que é professor da Uesb, poeta e palhaço como se definiu, está no seu terceiro livro de poemas, contou que iniciou a concepção de sua obra em 2012. São 66 poemas e 24 fotografias no livro Kúesis. Seu livro Almas e Linhas, publicado em 2004, foi o primeiro livro da Editora Via Litterarum.
Mariana Souza, professora de Inglês e tradutora, estreia no mercado literário com o primeiro livro de uma trilogia intitulada A lição do Mago. Nele o leitor irá se emocionar com a novela A casa de Vidro, uma narrativa terna e enigmática, a construção da personagem e os elementos a engendrarem seu encontro com o Mago.
“Este maravilhoso Espaço Literário que hoje se abre aos escritores tira a mim do anonimato, fará o mesmo a muitos outros! Bravo todos os que gestaram e já efetivam tão bondosa ideia! Agradeço em especial a Gasparetto e Janete Ruiz pelo incentivo”, disse ela.
Professor da Uneb, Charles Sá autografou seus cinco livros. Ele fez um pequeno relato de cada uma das suas criações. “Se eu contar vocês não vão comprar”, brincou. Bastante emocionado, Sérgio Machado contou sobre a criação do seu primeiro livro e agradeceu a seu pai que, segundo ele, era um grande contador de histórias. “Minha obra é ligada a temas atuais. Somos oito bilhões de artistas”, pontuou.

Militante do movimento social pela igualdade racial e direitos dos negros, Egnaldo França, disse que na realização da sua obra, a Coletânea Labor de Poetas, procurou agregar várias pessoas ao projeto, a quem chamou de coautores. “Desde o design que trabalha com a presença negra no seu trabalho. Fui morar no Maria Pinheiro em 1985, bairro carregado de muito preconceito. Foi a ali que comecei minhas poesias”, relatou o fundador do Movimento Encantarte.

Albione Souza é professor do estado e do município de Ipiaú e estudioso do legado literário e político de Euclides Neto. Ele que é neto de trabalhadores rurais, contou da sua vontade em escrever. “Minha obra mescla biografia e é um livro historiográfico”, disse. Segundo ele o livro é fruto do Mestrado em História na UNEB- Alagoinhas.

“Sou grato à professora Janete Ruiz, minha orientadora durante minha graduação em história na UESC e aos meus ex- professores Aurélio Macedo e Jonas Boa Morte, a Agenor Gasparetto e Elimarcos Santana que também prestigiam esse notável evento literário Itabunense.”, declarou Albione Souza.

A psicóloga e escritora Leila Cristina de Oliveira, autora dos livros infantis Asas e O Trenzinho leu um poema de Cecília Meireles, arrancando aplausos. “Minha obra convoca o leitor de qualquer idade a se observar e descobrir onde estão as suas asas”, disse.

Os escritores agradeceram a muitos professores presentes no auditório, a exemplo de Jonas Boa Morte, Raimunda Assis, Aurélio Macedo, Janete Macedo e o pastor Geraldo Meireles um dos idealizadores do Centro Cultural.

Fonte: https://costadocacau.blog.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.